Leitores

prefiro tanta coisa: No Livro II

prefiro celebrar o avermelhar duma maçã
ouvir a música fúnebre nas exéquias duma formiga
encher o balão arrebentado duma criança desapontada
do que comemorar o aniversário dum amigo

prefiro estorvar a assembleia dos autocratas
convidar uma meretriz para um jantar de gala
vestir a roupa do inocente de boca rota
do que cerimoniar com o rigidez da morte

prefiro encanar todo o salgado do mar
esfarrapar os meus joelhos nas mais picantes urzes
falar com o velho ermita quando me assalta a viuvez
do que pinchar no soalho abluído para o noivado

prefiro ainda corar quando me olha uma pândega
chorar com o amigo assaltado pela confusão
rir quando a desventura é a vontade do grémio
do que ser ovelha e obter novelo de lã como prémio

ferool: França, publicado no Livro II

3 comentários:

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

não quero partir
porque não há chegada,
a ponte do sonho caiu,
sem margens
a minha rota
atravessa o suor
de gaivotas poisando,
pétalas de sorrisos
sugam-me os lábios
salpicando o meu rosto,
és uma flor ?
pergunta-me o vento,
não, não sou nada,
quero ser o mar
simplesmente,

poetaeusou


Uma bela semana pra você...
Abraços

J.G disse...

PERFEITO!

Cumprimentos

fernando oliveira disse...

Obrigado camaradas.

fernando